segunda-feira, abril 12, 2004

GRANDE, OU TALVEZ NÃO
Uma das grandes questões que sempre atormentaram a humanidade, desde os seus primórdios, foi a falta de dinheiro. Mas, como eu não tenho a mínima ideia de como resolver este problema, vou falar mesmo sobre o tamanho do “Zézinho”, outra grande questão humana – quer dizer, grande para alguns, porque para outros é uma questão ridícula, que só dá para ver de lupa.
O tamanho diminuto do dito cujo vem atormentando gerações e gerações de seres humanos e mulheres de seres humanos ao longo da história. Muitos têm-se curvado perante este problema (até porque, se não se curvassem, não o veriam) e tentado solucioná-lo de todas as maneiras possíveis, chegando às raias do desespero irracional, arrancando todos os pentelhos e, apesar disso, não conseguindo nem sequer fazer cócegas na Maria. Por isso, se o vosso for “piqueno”, não se preocupem, lembrem-se que o Enrique Iglésias numa entrevista recente disse ter, provavelmente, o pénis mais reduzido do mundo, e é um sex symbol. Uma solução é atarem uma pedra, de dimensões consideráveis, e atirem-na de um local alto p’raí umas vinte vezes. Verão que isso irá resolver o vosso problema. Em último caso existe sempre a possibilidade de trocarem de sexo. Mais por mais, já tem um clítoris bem desenvolvido.

Sem comentários: