quinta-feira, dezembro 22, 2005

Cuidado com o que comem
Já que estamos em época de Natal, tomemos agora em atenção a típica comida desta altura. Julgo que será somente necessário dar um exemplo, as rabanadas! Isto tudo para provar o quê? A permanente presença da rotice neste merdoso festejo! Rabanada? Mas quem é que no seu perfeito juízo vai comer uma coisa com esse nome? Só um caga-pa-dentro!!! Tipo, daqui a nada estou mesmo a imaginar...fazem um prato que se chama...sei lá, Nurrabiosque! Nesse caso, virava-se um desses otários festejadores natalícios, todo orgulhoso porque tinha comido nurrabiosque...e tinha gostado! Oh por favor...pensem nas crianças, caralho!!! Nada mais tenho a referir sobre este tema...

quarta-feira, dezembro 21, 2005

O NATAL
O Natal é já daqui a uns dias, e isso fez-me pensar no seguinte: O que é, realmente, o Natal?
Ora bem, o Natal, supostamente, é a celebração do nascimento de Cristo (só este facto é ridículo por si próprio...), ou seja, Cristo faz anos! Ora, se é esse intrigante ser, de pai carpinteiro e mãe virgem (esta nem merece comentários...), que faz anos...quem é que teve a puta de ideia de oferecermos prendas uns aos outros!? O puto é que faz anos, caralho! Pá, tá bem...ele passava os dias deitado nas palhas e tinha como melhores amigos um burro e uma vaca...ninguém merece prendas por isso! Mas sejamos francos...se eu fizesse anos e todos oferecessem prendas uns aos outros eu ficava fodido! E só tenho 30 anos...imaginem o gajo que está quase a fazer 2006...deve ser frustrante!

segunda-feira, dezembro 19, 2005

ELE ANDA AÍ...
De acordo com a crença de milhares de pessoas em todo o mundo, no fim dos tempos, Deus tornará a enviar à Terra o seu filho para julgar os ímpios e conduzir os puros de coração e espírito à salvação.
O que pouca gente sabe é que esse filho de Deus, esse Messias, esse segundo Cristo já anda entre nós. Aquele a quem já chamaram Messias do 4º milénio é português, chama-se Amílcar, e aguarda apenas a ordem divina para se manifestar.
Uma das manifestações sobrenaturais que provariam, sem qualquer tipo de dúvida a "messianidade" de Amílcar foi a seguinte: Certo dia, quando se dirigia para a paragem do autocarro, um indivíduo de aparência aparentemente normal, mas que Amílcar sabia ser um querubim de caracóis dourados e pirilau reduzido, dirigiu-se-lhe e perguntou: "Desculpe, tem horas que me diga?" Perante tal questão, só o verdadeiro filho de Deus saberia como reagir. Amílcar parou, abriu os braços, olhou o céu e disse com uma voz que poderia perfeitamente ser a sua: "Em verdade te digo, são nove e meia." Alguns meses mais tarde, o apartamento ao lado da humilde residência de Amílcar, foi ocupado por uma família de apelido Espírito Santo.
Palavras para quê?

terça-feira, dezembro 13, 2005

A vida como ela é
Homens casados vivem mais do que homens solteiros. No entanto, os homens casados são os que têm mais vontade de morrer.