terça-feira, fevereiro 13, 2007

Quem não se lembra...
…Vader era já mais máquina que homem e o imperador não se percebia muito bem o que era mas lá que era feio como o raio ninguém podia discutir. "-Desiste, jovem Skywalker"-disse o imperador com voz ofegante, -"Estás derrotado. É melhor que desistas e aceites o poder do lado negro." "Nunca!", gritou Luke. Ao mesmo tempo, usou a Força para trazer o sabre até à sua mão mecânica, decepada pelo pai no filme anterior. Com toda a sua força, lançou-se sobre o outrora seu pai, Anakin Skywalker, nobre jedi, hoje apenas um monstro sanguinário e com problemas respiratórios. Golpeado com violência pelo sabre verde do filho, Vader deixou-se cair, expondo a mão que segurava a arma à lâmina luminosa de Luke. Cego de raiva, decepou-lhe a mão como o pai lhe havia feito e a poderosa mão foi projectada pelo ar, indo cair no poço ao centro da sala. "-Bravo! Vejo que já te entregaste ao lado negro... Sente como o seu poder flui pelas tuas veias." O imperador parecia não estar minimamente preocupado com o estado lastimoso a que Vader estava reduzido. Tinha conquistado o filho de Anakin Skywalker e isso era mais importante que outra coisa qualquer. Mas talvez estivesse enganado. Inspirando fundo e indo buscar força à causa que defendia, aos seus amigos: a irmã recém-descoberta, Leia, os bravos Han Solo e Chewbacca, os dróides, Obi-Wan e Yoda, José Castelo Branco, Luke desligou o sabre e lançou-o para longe. O imperador ficou pior que estragado. "Então... jovem Skywalker... vais morrer"-disse e levantou-se cambaleante na direcção de Luke. Das suas enrugadas mãos, partiram raios de luz que atingiram o jovem. Luke contorcia-se de dor enquanto o imperador se ia aproximando mais e mais, empurrando-o para o poço. Quando tudo parecia perdido, Vader ergueu-se, reunindo as poucas forças que lhe restavam, pegou no imperador e lançou-o ao poço provocando uma explosão com a energia que se desprendia do corpo do velho. Deixou-se cair ao lado do filho, exausto e moribundo. "Pai"-gritava Luke, era a primeira vez que chamava assim o seu progenitor. "Não podes fazer nada por mim"-respondeu o gigantesco vulto negro-"mas ajuda-me a tirar esta máscara para que, ao menos uma vez, possa ver-te com os meus olhos." Luke obedeceu e tirou a tenebrosa máscara, revelando o rosto moldado pelo tempo e pelos implantes mecânicos do seu pai, Anakin Skywalker. O velho, numa voz quase imperceptível pediu a Luke para se aproximar mais e sussurrou-lhe ao ouvido aquelas que seriam as suas últimas palavras: "Tira a mãozinha daí... Já sei que é bom, mas não é para ti!"

Sem comentários: